Quanto vale a sua hora/aula?

Você certamente já se perguntou quanto cobrar por determinado serviço ou por hora trabalhada. E provavelmente até mesmo diminuiu um pouco o preço por timidez ou vergonha de cobrar “caro”.

Antes de tudo, é interessante observar que o que você pode considerar “caro”, nem sempre corresponde à realidade. Algumas coisas devem ser levadas em consideração e precisam ser lembradas no momento de construir uma tabela de preços.

Mas o que é fato é que muitos profissionais acabam desvalorizando o serviço, se desvalorizando e mais, desvalorizando a profissão cobrando valores de hora/aula abaixo e bem abaixo do mercado, apenas para exercer a profissão.

Seria para ter um status? Necessidade financeira? Enfim, o que não podemos fazer é depreciar o trabalho, a formação e tudo o que é feito durante a faculdade e após este período.

O trabalho personalizado tem que ser valorizado no quesito financeiro, afinal você está dispondo o seu tempo, o seu conhecimento e a sua bagagem naquele período de aula e pós aula exclusivamente para aquela pessoa ou grupo de pessoas.
E o que levar em conta antes de estipular um valor de hora/aula?
Bom essa é uma pergunta muito abrangente e que podemos discutir por muito tempo, mas alguns fatores são importantes na hora de você estipular o valor de sua aula.

Você Estudou = Você Investiu

Não importa se você estudou em uma instituição de ensino pública ou privada, mas para se tornar um profissional você completou um curso superior ou técnico. Há uma diferença nas duas situações, porém há algo em comum que é muito importante: você investiu algo precioso, O SEU TEMPO!

Todo esse tempo envolveu diversos fatores como deslocamento, horas de estudo; aquisição de livros, materiais diversos etc. Se você que já é formado olhar pra trás, enxergará tudo isso e verá que não foi pouca coisa!

Concluímos que a sua formação profissional é o resultado da junção de todos os esforços direcionados a esse objetivo. E isso vale dinheiro!

Valorize Seu Suor

Tudo aquilo que fazemos no cotidiano para garantir nossas necessidades básicas e deixar as contas em dia tem o valor que somente pode ser entendido por completo pela pessoa que vive aquele cotidiano. São muitos os desafios que encontramos diariamente e não é fácil sobreviver numa sociedade tão competitiva.

Se a sua formação, conhecimento e habilidades adquiridas já agregam valor ao seu trabalho, o seu esforço e dedicação empregados ao exercer sua profissão também devem ser levados em conta. Pense que há dias em que você não está tão disposto, mas, mesmo assim, dedica a sua energia para fazer o que deve ser feito.
Muitas coisas são realizadas contra a nossa vontade, mas, pelo bem de completar as tarefas que estão sobre a nossa responsabilidade, tudo é feito. Por estes e muitos outros motivos você deve valorizar sua profissão. Cobrar barato é uma agressão a si mesmo.

Quanto Cobrar?

Os preços dos serviços variam muito para cada profissional. Porém há definições básicas que devem ser levadas em consideração:

  • Tempo de experiência profissional;
  • Qualidade do trabalho;
  • Quantia mínima para sobreviver.

Em relação a essa terceira definição básica, considere que a “quantia mínima para sobreviver” engloba as contas que devem ser pagas no mês, uma parte para ser poupada e outra para o lazer.

Agora, para você, que pensa em contratar o serviço de um profissional, faça um breve exercício de reflexão:

Imagine o quanto ele investiu na formação com faculdade, pós graduação e em cursos feitos ao longo da carreira? Com certeza esse valor não será baixo.
Agora pense por qual valor é o mínimo que ele vai sair de casa e aplicar o seu conhecimento? Seja muito criterioso nisso, valorize o trabalho de quem você pensa em contratar, valorize as conquistas realizadas e acima de tudo valorize a profissão!

Uma pesquisa sobre o perfil do educador físico apontou que a maior dificuldade para atuar nesta profissão está no preço desleal cobrado pela concorrência. Esse é um indicativo muito grave e representa muito a desvalorização e a banalização do profissional.

Vamos analisar todas as situações e ver, realmente, o quanto é importante a sua qualidade de vida, o seu bem estar e a sua saúde!
Bons treinos sempre!