Fortalecimento

fortalecimento

O fortalecimento muscular é uma forma de exercício resistido, que visa o aumento e a melhora dos músculos esqueléticos utilizando variação de carga, amplitude de movimento, tempo de contração e velocidade. É uma prática que deve ser intercalada aos treinos de corrida, pois durante o passar dos anos o nosso corpo tende a sofrer perdas em três pontos principais: resistência, elasticidade e musculatura.

A corrida está cada vez mais popular. Multiplicam-se o número de provas e, conseqüentemente, a procura pela melhoria. Os treinos, mais freqüentes e mais intensos, precisam de acompanhamento profissional qualificado, para evitar, assim, o número de lesões. Durante a corrida, as forças de aceleração e desaceleração podem exceder a capacidade de absorção de cargas lesivas do músculo e tendão, o que poderá levar a lesões. E elas surgem normalmente em ações como mudanças de direção, mudanças bruscas de velocidade e movimentos de rotação.

Consideram-se fatores de risco, entre outros, a falta de força muscular, a existência de lesões prévias ou a sua reabilitação inadequada. Apresenta-se então imprescindível para a obtenção de bons resultados seguir um programa de treino adequado aos seus objetivos, que permita uma boa preparação física, incluindo um adequado trabalho de força muscular e alongamento. Dentro do fortalecimento muscular, deve-se ter atenção aos grupos musculares mais solicitados durante a corrida, tais como estabilizadores lombares e pélvicos, musculatura da coxa (isquiotibial e quadríceps) e gêmeos. Um dos grandes avanços do treino de força durante as últimas décadas foi a incorporação do trabalho de sobrecarga excêntrica à maioria dos programas de treino. Consiste essencialmente em fortalecer a musculatura, enquanto as fibras musculares se alongam através da força dos tendões e não da sua contração, utilizando uma carga superior à utilizada no quotidiano. Este trabalho muscular solicita mais fibras tendinosas, promovendo o alinhamento das mesmas, o aumento de colágeno do tendão, um maior ganho de força num menor espaço de tempo e um maior alongamento, o que leva a uma maior capacidade de resistência, diminuindo o risco de lesão. Em treino de alto rendimento é possível também realizar este trabalho utilizando o nosso peso corporal.

Para a introdução destes exercícios na reabilitação de uma lesão é importante ter em conta as especificidades da lesão e a fase em que se encontra, sendo melhor o aconselhamento de um profissional qualificado.

Leandro Albuquerque

Be Sociable, Share!

Deixe uma resposta


*